Tag Archives: mulher

Uma casa

5 ago

O trabalho de uma casa não tem fim. Por mais que exista a nossa dedicação para que tudo esteja em ordem, sempre surge algo a fazer, sempre tem uma lista de coisas por fazer, sempre tem um mundo de atividades que desejamos cumprir.

Mesmo se todos os armários e gavetas estiverem limpos e arrumados (o que acho pouco provável), as nossas ideias surgem e gostaríamos de melhorar algo. Mudanças se tornam necessárias, sempre em busca da melhoria contínua.

A maior complicação de todo o trabalho doméstico é a falta de reconhecimento da família sobre aquele que é o responsável pela manutenção da organização da casa. Sempre acham que tudo vai do céu e não há trabalho a ser feito. Ajudas nunca são oferecidas e, muito pelo contrário, mais trabalho e bagunça é o lema diário.

Bjs

Nanda

Tudo eeeeuuuuuuu

10 maio

Eu já nem reclamo mais, já sei que sou responsável por tudo mesmo…

Se falta pão, a culpa é minha, se a casa está suja, a culpa é minha, se a empregada não foi, a culpa é minha, se as filhas se atrasam, a culpa é minha.

Pegar a filha na festa é comigo, levar aos compromissos é comigo, cuidar da casa é comigo, até fazer a mudança de casa é comigo.

O apelido de Mulher Maravilha não é à toa e nem vem de hoje. Ser mulher, mãe e dona de casa sempre foi muito pouco. O estudo e o trabalho são combustíveis para a minha vida.

Mas, juro que não reclamaria se recebesse uma ajudinha da família!

Bjs

Nanda

Tomando uma…

28 mar

A maioria das pessoas gosta de fechar a semana de trabalho se divertindo um pouco com os amigos. É hora do happy hour, tomar umas bebidinhas e dar umas boas risadas.

Eu sou igualzinha à maioria das pessoas só que não tenho a necessidade de sair ou estar com outras pessoas. Gosto de estar comigo mesma e com os meus pensamentos. Me delicio preparando um drink ou abrindo uma garrafa de espumante.

E na hora de saborear, então, comemoro sozinha, brindo comigo mesma e “tomo uma” sem problemas, sem companhia e sem medo.

Ah! Outro detalhe… Nada disso precisa ser na sexta-feira. Posso escolher a quarta, a quinta ou o sábado e nada fará a diferença. Só me cuido para ficar quietinha em casa e nem peso em dirigir enquanto me permito uns brindes.

Bjs

Nanda

Feminismo

27 mar

O feminismo tem por objetivo a igualdade de direitos entre homens e mulheres. Sou uma feminista nata. Duvido que exista uma mulher que não seja feminista.

O termo ainda é muito confundido com a busca de superioridade de direitos. As mulheres que buscam ser superiores não são feministas, são totalmente burras e fora do contexto atual.

Aquelas que ainda rasgam soutiens ou não se depilam, não são feministas. São seres que estão abrindo mão das características femininas em função de nada. Querem provar sei lá o quê, para sei lá quem, sei lá quando…

As feministas querem liberdade para serem o que quiserem, ao lado de seus parceiros, vivendo as escolhas de suas vidas. Sim, sou feminista com muito orgulho!

Bjs

Nanda

Dia da mulher

8 mar

“She

May be the face I can’t forget.

A trace of pleasure or regret

May be my treasure or the price I have to pay.

She maybe the song that summer sings.

May be the chill that autumn brings.

May be a hundred different things

Within the measure of a day.

She

May be the beauty or the beast.

May be the famine or the feast.

May turn each day into a heaven or a hell.

She may be the mirror of my dreams.

A smile reflected in a stream

She may not be what she may seem

Inside her shell”

“Ela

Pode ser o rosto que eu não posso esquecer.

Um traço de prazer ou arrependimento

Pode ser meu tesouro ou o preço que eu tenho que pagar.

Ela pode ser a música que o verão canta.

Pode ser o frio que o outono traz.

Pode ser cem coisas diferentes

Dentro da medida de um dia.

Ela

Pode ser a bela ou a fera.

Pode ser a fome ou o banquete.

Pode transformar cada dia em um paraíso ou em um inferno.

Ela pode ser o espelho dos meus sonhos.

Um sorriso refletido em um riacho

Ela pode não ser o que ela pode parecer

Dentro da sua casca

Ela, que sempre parece tão feliz no meio da multidão.

Cujos olhos podem ser tão secretos e tão orgulhosos

Ninguém pode vê-los quando eles choram.

Ela pode ser o amor, que não pode esperar para durar

Pode vir para a mim das sombras do passado.

Que eu vou me lembrar até o dia que eu morrer

Ela

Pode ser a razão pela qual sobrevivo

O porquê e o motivo de eu estar vivo

A única que que eu vou cuidar prontamente ao longo dos anos durante as adversidades.

Eu vou pegar as risadas e as lágrimas dela

E farei delas todas as minhas lembranças

Para onde ela for, eu tenho que estar

O sentido da minha vida é

Ela, ela, ela”.

Feliz dia de todas as Mulheres Maravilhas, assim como eu!

Bjs

Nanda

Chama o síndico 

24 out
Dizem que eu procuro sarna para me coçar pois não fico quieta em meu canto. Já não me basta todas as atividades que tenho é vivo arranjando mais uma.
Não basta ser mãe, dona de casa, mulher, e empresária. Tudo isso é pouco! Nunca deixei de ser estudante. Sempre estou aprendendo algo, principalmente línguas, que amo de paixão.
Por último, me coube a função de síndico. E como sou dedicada em tudo o que faço, acredito que sou uma boa síndica. Mas, para quem pensa que o trabalho é pouco e os benefícios muitos, estão enganados.
Nada de redução na taxa de condomínio e muita preocupação em manter tudo organizado. Confiro cada prestação de contas, cada real gasto e faço contas sobre o que gastar. A manutenção do bem comum é minha maior preocupação e não meço esforço para que tudo esteja organizado.
Como dizia Tim Maia: “eu vou chamar o síndico!” Podem chamar que eu chego já.
Bjs
Nanda

Feminismo

3 out

Li esse texto e achei fantástico.

“Semana passada fui dar aula sobre assédio sexual num curso de pós graduação em São Paulo. Cheguei na sala, composta predominantemente por advogados, e perguntei “Quem aqui se considera feminista?”. Silêncio. Uma moça levanta timidamente o braço. Dois ou três caras fazem comentários baixinho e riem.

Disse “Ok. Vou fazer duas leituras rápidas para vocês”. Continuei.

“Dicionário Houaiss da língua portuguesa: FEMINISMO: teoria que sustenta a igualdade política, social e econômica de ambos os sexos.

Dicionário Jurídico da Professora Maria Helena Diniz: FEMINISMO: movimento que busca equiparar a mulher ao homem no que atina aos direitos, emancipando-a jurídica, econômica e sexualmente.”

Esperei um pouquinho e mudei a pergunta “Quem aqui pode me dizer que NÃO se considera feminista?”. Ninguém levantou a mão.

Pois é. Tenho a sensação de que 99% do mundo não entendeu até agora o que é feminismo. Porque se as pessoas entendessem, quase todo mundo teria orgulho de se dizer feminista. E o melhor: dizer “eu não sou feminista” seria considerado algo mais feio do que dizer “eu não gosto de filhote de golden”.

Não vou perder tempo aqui dizendo que feministas não são mulheres que não se depilam, não usam soutien e não transam. Primeiro porque ser feminista não tem a ver com ser mulher, tem a ver com ser humano. Segundo porque nunca entendi que raio que os pelos têm a ver com posicionamentos ideológicos. Terceiro porque soutien serve para sustentar peitos, não para sustentar ideias. E quarto porque eu já vi gente deixar de transar por causa da igreja, por causa de promessa, por falta de opção, por infecção ginecológica, problemas de ereção… Mas por feminismo nunca vi. Alguém já viu?

Enfim. Acho que ser feminista não é bom ou ruim. Ser feminista é necessário. Uma vez ouvi uma amiga dizer “a mulher que diz que nunca foi discriminada é apenas uma mulher muito distraída”. É simples assim. Não precisamos ir até o Oriente Médio. Não precisamos ir até tribos africanas. Não precisamos ir ao sertão do nordeste. Não precisamos ir até a periferia de São Paulo. Não precisamos sair dos nossos bairros. O machismo que limita, que agride, que marginaliza, que ofende, que diminui, mora ao lado, dorme por perto.

E agora, quem poderá nos defender? O feminismo. O mesmo feminismo que nos tornou civilmente capazes e independentes perante a lei. O mesmo feminismo que nos possibilitou votarmos e sermos votadas. O mesmo feminismo que segue lutando diariamente por uma sociedade mais justa para mulheres, homens, mães, pais, filhas, filhos, trabalhadoras e trabalhadores.

No século XIX, as brilhantes irmãs Brontë escreviam através de pseudônimos masculinos por saberem que suas obras não seriam aceitas na sociedade se soubessem que as autoras eram mulheres. Se não fosse o feminismo eu provavelmente também não estaria escrevendo aqui neste momento. Pelo menos não como Ruth.

Nós precisamos falar sobre feminismo. Com nossos amigos, nossos pais, nossos filhos, grandes ou pequenos. É hora de falar sobre igualdade entre meninos e meninas. É hora de falar que meninas podem jogar bola e ter carrinhos e que meninos podem cuidar de bonecas. Quem não quer ter um filho feminista? Quem não quer que eles vivam num mundo de igualdade, no qual nem meninos nem meninas sejam massacrados pela truculência do machismo?

Nesse domingo, o tema da redação do Enem foi a violência contra a mulher. Milhões de jovens tiveram que parar para pensar sobre isso. Que avanço lindo. Pensar é sempre o primeiro passo. Perceber que a questão existe, que o tema não é antiquado e que, infelizmente, as questões de gênero estão muito longe de serem superadas. A violência persiste, a discriminação no ambiente de trabalho persiste, a desigualdade salarial persiste, a discriminação com as tarefas domésticas persiste, as pequenas (e não menos graves) agressões machistas do dia a dia persistem. Então a luta tem que persistir.

O feminismo não é de esquerda nem de direita. Não é só para mulheres nem é só para homens. Não é ameaça. Não é um estranho. Mas perceba que quando você trata os feministas na terceira pessoa do plural, excluindo-se deste rol, você está afirmando não fazer parte do grupo que prega a igualdade de oportunidades entre homens e mulheres. Pense bem de que lado você quer estar.

Se você percebeu que é feminista, fique tranquilo. Nós não contaremos para ninguém. Mas, sabe? Se eu fosse você, eu sairia contando para todo mundo. Porque ser feminista é lindo, é importante, é sinal da inteligência e da decência de qualquer ser humano. Como diz o lindo livrinho da nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie (leiam, ele é pequenino e indispensável): Sejamos todos feministas. E o mundo será melhor a cada dia. Pode apostar.”

(Ruth Manus)

Serve para uma boa reflexão. Sempre fui e sou uma feminista!

Bjs

Nanda

%d blogueiros gostam disto: