Tag Archives: amor

Inveja

29 nov
A inveja, para mim, é um dos piores sentimentos que pode existir. Ela venda nossos olhos e impede que vejamos o que a vida nos proporciona de bom.
Tem gente que não suporta ver o sucesso das pessoas que estão à sua volta. Tentam desdenhar das conquistas dos outros e desfazer de cada vitória. Estar cercada por pessoas assim, faz mal! Destroem a nossa energia e acabam com o nosso bom humor.
Confesso que não tenho paciência com invejosos. Mando meu beijinho no ombro e sigo meu caminho. Finjo que não vejo, nem ligo, crio uma barreira e me protejo. Tenho mais com que me preocupar.
Acredito que o mundo precisa de mais amor no coração e mais encontro com Deus de verdade, e não somente da boca para fora!
Bjs
Nanda

Dia do poeta

4 out

Sempre gostei de ler poesias e, para comemorar o dia do poeta, publico a minha favorita do meu poeta favorito.

Soneto de Fidelidade

“De tudo ao meu amor serei atento

Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto

Que mesmo em face do maior encanto

Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento

E em seu louvor hei de espalhar meu canto

E rir meu riso e derramar meu pranto

Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure

Quem sabe a morte, angústia de quem vive

Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):

Que não seja imortal, posto que é chama

Mas que seja infinito enquanto dure.”

(Vinícius de Moraes)

Bjs

Nanda

Marido e Mulher

3 set

Desde os tempos mais remotos de Adão e Eva, a convivência entre os casais não é nada fácil. A divergência de gostos e prioridades sempre foi um obstáculo ao mundo da paz.

Acredito que, quando existe amor tudo pode se resolver pois, as diferenças ficam pequenas diante da força do sentimento.

Com o tempo, os casais aprendem a conviver entre si, respeitando as vontades e a forma de ser de cada um. Cada um cedendo um pouco dos seus espaços e até de suas vontades para satisfazer o outro.

Esse aprendizado não é fácil e, nem sempre transcorre de maneira pacífica. Alguns casamentos não resistem às grandes mudanças de se viver em um ambiente comum a outras pessoas. Uma pena!

Mas, para aqueles casais que superam as dificuldades juntos e, buscam a harmonia entre eles têm grandes chances de seguirem um caminho longo juntos.

Bjs

Nanda

Desconfiança

15 jun

A pior coisa do mundo é nos relacionarmos com alguém em clima de desconfiança, com o pé atrás ou esperando um atitude fora do padrão daquela pessoa. Essa forma de viver não é saudável e sabota qualquer tipo de sentimento puro que exista.

Sempre fui uma pessoa transparente e autêntica. Sou o que sou e me aceitem assim e pronto. Não mudo para deixar ninguém feliz ou adequo o meu comportamento em função de padrões exigidos pela sociedade.

Tenho uma personalidade forte, é verdade. Mas, ninguém pode me acusar de ser traiçoeira ou coisa parecida. Quando quero, faço, quando amo, amo, quando não gosto, não finjo que gosto é assim por diante.

Não convivo desconfiando e muito menos buscando pelo em ovo. Dizem que quem procura acha. Eu prefiro não procurar mas, se preferirem vasculhar, com certeza não vão achar.

Mais amor e menos conflito!

Bjs

Nanda

Paixões adolescentes

14 jun

Quando somos adultos e olhamos os nossos filhos adolescentes dando os primeiros passos na vida amorosa, não damos o real valor aos sentimentos deles.

Achamos que tudo é muito cedo, que as paixões são fogo de palha, e que aqueles sentimentos serão passageiros. Que a vida deles será repleta de experiências e que não devemos valorizar os namoros iniciais.

Mas, nem sempre as coisas funcionam assim. Existem paixões adolescentes que seguem por toda a vida, se tornam inesquecíveis. Algumas retornam na vida adulta, como se nunca tivessem passado. Outras, seguem por toda a vida e resultam até em casamento.

Acredito nas paixões adolescentes, incentivo, valorizo e apoio minhas filhas, suas amigas e amigos porque sei que daquele sentimento inicial pode sair um amor verdadeiro.

Bjs

Nanda

Laços entre irmãos

6 jun

Irmãos são sempre irmãos. Não se consegue explicar a força da ligação que existe entre eles. Se cuidam, se amam e brigam, também.

Desde pequenos aprendem que é preciso dividir tudo. Lembro que dividia os chocolates, biscoitos e refrigerantes. A ordem era clara e tudo tinha que ser dividido de forma igual.

É claro que, muitas vezes, a paz não reinava e as diferenças sobressaíam. O pau comigo e um sempre acabava chorando. Minha mãe resolvia e fazia o outro chorar também.

Lembro que as brigas aconteciam até quando já éramos adultos. Eu, com mais de 23 anos de idade e ainda não levava desaforo para casa. Eram tapas e arranhões para todos os lados.

Mas, o fato é que na hora do aperto, um cuida do outro. O amor fala mais alto e o cuidado se sobrepõe a qualquer diferença. Ai de alguém que ouse mexer com meu irmão. Viro onça!

Bjs

Nanda

Ser mãe

15 maio

Outro texto maravilhoso que encontrei pela internet e recebi pelo WhatsApp. Também não tenho certeza do autor.

“Pausar a vida pelos filhos…

Hoje tomei meu chá e fiquei pensando em quantas vezes, desde que me tornei mãe, já escutei a frase “não pause sua vida pelos filhos, pois eles um dia crescem”; como uma forma disfarçada de menosprezar a dedicação materna.

Cria-se o filho pro mundo, todo mundo diz.

As asas, as benditas asas. Eu sei, você sabe.

Não pausar a vida. Ideia curiosa essa já que ser mãe é viver eternamente de pausas.

Por 9 meses, pausa o vinho.

Por aproximadamente 40 dias se pausa a vida sexual.

Por muitas e muitas noites pausa o sono , pausam a reunião de trabalho, a ligação importante, a oportunidade profissional. Pausa a poupança, porque juntar dinheiro fica difícil.

A gente pausa as refeições e os banhos. Pausa os planos de viagens, as saídas com as amigas, as idas ao cabeleireiro.

A gente pausa o coração na preocupação e pausa a própria vida pra respirar a deles.

Criar para o mundo. O que isso seria?

Suponho que minha mãe me criou “para o mundo,” sempre me dando asas. Fui conquistar esse mundão para o qual a minha mãe me criou.

Mas a verdade é que eu nunca deixei de ser dela. Um pedaço dela. Um produto dela.

Então eu penso, enquanto tomo meu chá com lágrimas e amargo as saudades que sinto da minha mãe, que filhos não são do mundo. Nossos filhos são nossos! Eles vieram da gente e voltam pra gente de novo e de novo.

Mesmo estando longe, eles são nossos. Nossos pedaços. Nossos produtos. Os produtos de todas as nossas pausas. Porque é na pausa que fortalecemos o vínculo, é na pausa que construímos as memórias. É no pausar da vida, nesse incessante viver pelo outro, em meio às dores e sacrifícios que, como mulheres, muitas vezes nos vemos plenas; e mais do que isso, nos vemos mães.”

Para todas as mamães que admiro.

Bjs

Nanda

%d blogueiros gostam disto: